O consumo de energia mundial vem crescendo ano após ano, e segundo projeções, no Brasil até 2029 é previsto um aumento de 28% da carga instalada (EPE – Plano Decenal), alcançando um patamar de 221GW, das quais 81% de fontes renováveis. Esse crescimento esta relacionado a mudanças de hábitos e a modernização de nossas residências, industrias e no agronegócio, que a cada dia utiliza mas equipamentos eletrônicos para funções diversas. Nessa linha de pensamento, um ponto que deve ser levantado é a eficiência energética, que vai permitir um melhoramento das tecnologias e uma consciência do uso da energia elétrica. A geração de energia, pode ser proveniente de diferentes fontes, e essa transformação de energia é um trabalho ainda pouco eficiente. Olhando para máquinas térmicas que utilizam carvão, gás natural ou derivados de petróleo, em média, apenas 1/3 da energia disponível é convertida em energia elétrica, portanto a nossa energia elétrica é um bem nobre e que deve ser utilizado com responsabilidade.

Modelos de diagrama Sankey de geradores a combustão e eólico (valores genéricos).

A eficiência energética pode ser melhorada tanto na matriz geradora, com máquinas de conversão mais eficientes ou células solares que tenham um melhor rendimento na conversão da irradiação solar em eletricidade, mas de prontidão, podemos fazer algumas mudanças no lado do consumo. Em linhas gerais eficiência energética não é apenas desligar equipamentos ou lâmpadas racionalizando o consumo, mais sim entender nossa necessidade e conhecer o processo, dessa forma, conseguimos reduzir o consumo sem interferir no nosso conforto ou produção nas indústrias. Existem algumas maneiras de identificar onde podemos otimizar nosso consumo, seja ele em uma mudança de etapas do processo, substituição por máquinas mais eficientes ou isolamentos térmicos, mas o ponto em comum com todas as soluções é ter em mãos o perfil de consumo, horário diário ou mensal. Com esses dados em mãos é possível determinar quais mudanças são necessárias e quais irão trazer um benefício efetivo para o consumidor.

O processo de medição, deve ser realizado por uma empresa ou profissional qualificado e deve seguir todas as normas de segurança!

No mercado existem diversos equipamentos de medição de energia que irão coletar as grandezas elétricas de um consumidor de forma geral ou ainda por setor de uma industria, lembrando que quanto mais detalhes e mais dados, mais assertivo são as soluções de redução de energia. Consumidores residenciais, podem verificar qual o consumo mensal e verificar seus equipamentos, principalmente a classe de consumo, por exemplo, substituir geladeiras antigas por modelos novos ou simplesmente trocar lâmpadas florescentes por LED, essas ações simples, podem gerar economia. Em consumidores comercias e industriais, primeiramente deve-se entender qual o custo de energia para produzir ou entregar um serviço, por exemplo, qual o consumo de energia R$/kWh para produzir cada par de sapatos, ou litros de refrigerante ou até para cada hóspede em um hotel. Após isso, podemos avaliar quais mudanças no processo são possíveis realizar, outra estratégia é traçar metas para a equipe do consumo diário e mensal, assim todos vão cooperar com ações simples mas que impactam no final do mês.

Tags:

No responses yet

Deixe um comentário