A importância do desenvolvimento do setor de energia renovável e também, a necessidade da diversificação da matriz energética mundial é reconhecida por todos pelos benefícios ao meio ambiente. Mas as vantagens não param por aí, a cadeia produtiva da produção de energia limpa pode empregar milhares de pessoas. A Energia Eólica é um exemplo que pretende gerar empregos em diversas áreas de atuação. 

Segundo estudos da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, ABDI, o setor de Energia Eólica tem potencial de gerar cerca de 200 mil vagas de emprego até 2026 no Brasil. Esse cenário otimista existe em razão da recente adição de 2,1 Giga Watt na capacidade de gerar energia eólica no país, atingindo a marca de 14,7 GW produzidos no Brasil. 

De acordo com o relatório Renewable Energy and Jobs feito pela International Renewable Energy Agency, Irena, o desenvolvimento do setor abre novos horizontes para a geração de emprego no país. 

Atualmente, apesar da mão-de-obra na cadeia de produção de biocombustíveis, no Brasil, atingir a marca de 34 mil postos de trabalho, a maioria dos empregos estão alocados no plantio e na colheita de matérias-primas, setores com baixa remuneração e menos qualificação. 

Para a ABDI, o crescimento da área garante novas possibilidades de carreira, 52 profissões podem atuar em diferentes etapas, como ensino e pesquisa, manufatura, desenvolvimento de projetos, construção, montagem, operação e manutenção.

33 milhões de brasileiros utilizam a eletricidade proveniente de centrais eólicas em todos os meses do ano, segundo estudos da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). E isso representa apenas 7% da produção energética do país. Mas até 2040, o objetivo é essa porcentagem consiga atingir a porcentagem de 42%, incluindo a energia solar e a eólica. 

1.021 Responses

Deixe um comentário