Um dos grandes atrativos da Energia Solar, além da preservação do meio ambiente e redução das contas de luz, é a isenção de impostos, que incentiva a geração própria de energia e pode beneficiar ainda mais o consumidor. Apesar da grande quantidade de radiação solar no Brasil, o uso de placas fotovoltaicas ainda não é tão explorado como deveria, mas essa situação vem mudando com vários estímulos do governo

As regulações feitas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 2012 e 2018 foram o que alavancou a Energia Solar no Brasil. O sistema de compensação de energia elétrica injeta o excedente de cada gerador na rede elétrica, gera créditos e garante benefícios ao consumidor. Esses incentivos são a isenção do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre a energia concedida e do PIS/Cofins sobre a energia produzida. Além disso, alguns estados contam com um programa chamado IPTU Verde, que reduz o valor desse imposto para quem gera energia solar. Unindo todos esses fatores, o consumidor tem uma redução considerável no valor total dos impostos e garante um alívio ao bolso. 

Outro ponto que chama a atenção para a aquisição de painéis solares é a oportunidade de financiamento pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES),que facilita a compra e torna a geração própria de energia mais acessível. Esses incentivos mostram como o governo brasileiro tem interesse em investir no mercado de energias renováveis. Na realidade, a transição para uma matriz energética limpa é o alvo de diversos países do mundo, com o objetivo de tornar o planeta mais sustentável e reduzir o aquecimento global

No responses yet

Deixe um comentário