A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Federal de Viçosa (UFV) recebem usinas de energia solar para o abastecimento dos seus campi. A expectativa é economizar cerca de R$500 mil por ano dos cofres públicos. 

Além da economia de energia e do impacto ambiental, esse projeto amplia as oportunidades de estudos dos alunos, pesquisadores e professores sobre o campo da energia fotovoltaica. Poder ver na prática é um grande diferencial e pode abrir portas para o desenvolvimento de novos trabalhos. Também serve como incentivo para que outras universidades invistam nesse recurso. 

Na UFMG, as placas estão no telhado do Centro de Atividade Didática (CAD), campus Pampulha. Com uma área de 2.015 m² e potência de 278 kWp, a usina será capaz de abastecer os três prédios do CAD. A energia excedente irá para abater no consumo de energia elétrica dos outros prédios. 

Os três campi da UFV, Viçosa, Florestal e Rio Paranaíba serão contemplados pelo projeto. Juntas, as usinas têm 7.000 m² e capacidade de 660 kWp – o que abasteceria uma média de 450 casas que gastam R$170 na conta de luz cada.

Tags:

No responses yet

Deixe um comentário