Vinte países concordaram em encerrar o financiamento de projetos de combustíveis fósseis no exterior em um acordo anunciado nesta quinta-feira, na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP 26).

Os líderes e representantes presentes se reuniram para discutir a aceleração da transição global para a energia limpa. Além disso, alguns anúncios importantes sobre o fim do financiamento do carvão e dos combustíveis fósseis foram feitos no encontro.

Várias nações já haviam concordado em encerrar o financiamento internacional para o carvão, mas esse acordo é o primeiro do tipo a incluir também projetos de petróleo e gás. “Este é um avanço histórico que não teria sido possível apenas alguns anos atrás”, disse Iskander Erzini Vernoit, especialista em finanças climáticas do Think Tank E3G.

O presidente da COP 26, Alok Sharma, disse que um acordo sobre a eliminação do carvão é um dos principais objetivos da cúpula. Mas, apesar disso, as metas ficam aquém do que os especialistas, incluindo a IEA, dizem ser necessário para atingir zero líquido até 2050. As emissões líquidas zero podem ser alcançadas se os países reduzirem as atuais emissões de gases de efeito estufa e também removerem parte do que já está na atmosfera, então a adição líquida é zero.

China, Índia e os Estados Unidos não assinaram a Declaração de Transição do Carvão Global para Energia Limpa. Os novos compromissos elevam o número total de signatários para 46 e incluem alguns grandes usuários de carvão, incluindo Indonésia, Ucrânia e Coreia do Sul.

A COP 26 começou no domingo 31 e vai até o dia 12 de novembro, em Glasgow, na Escócia. Realizada desde 1995 pela ONU (Organização das Nações), a reunião discute como combater as mudanças climáticas a partir de ações conjuntas entre os países.

578 Responses

Deixe um comentário